Terra: Planeta Água – Por que?

3

Ouvimos muito a expressão Terra: Planeta Água, mas o porquê do nosso planeta ser chamado assim? Com tanto desperdício, várias políticas e campanhas de conscientização para a preservação e economia da água, ainda podemos ser denominados Planeta Água?

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

Terra: Planeta Água

Entre os planetas orbitando o Sol, a Terra é claramente o “planeta da água”. A água ocorre em sua superfície como líquido, gelo e gás. As águas oceânicas agora cobrem quase 71 por cento da superfície terrestre, enquanto as águas frescas nos lagos e rios cobrem menos de 1 por cento. Folhas grossas de gelo cobrem as regiões polares da Terra, e as geleiras estão espalhadas por suas montanhas mais altas. A água em forma de nuvens protege a metade da superfície da Terra a qualquer momento. As erupções vulcânicas extraem continuamente água e gases de rochas profundas no interior da Terra.

Com esses dados claramente vê-se o porquê dessa nomenclatura. Recebemos o título por sermos o único planeta do nosso universo com água líquida. Ou seja, devido a nossa composição. Essa abundância do recurso natural é possível ser observado através do espaço, como as fotos retiradas pela NASA. Afinal, não desenhávamos o planeta Terra na escola de azul e verde a toa, não é mesmo?

Porém não dá para ficar muito entusiasmado, já que a água que pode ser utilizada para consumo corresponde à mínima fração de toda a água da sueprfície terrestre. E desse menos de 1%, há outros fatores a serem levados em consideração, como que nem toda essa água é potável e pronta para consumo ou está poluída.

Terra

A água e os gases provenientes de cometas e meteoros que colidem com a Terra, acredita-se, contribuíram para o seu oceano e atmosfera durante vários bilhões de anos. Depois de intensos e destrutivos bombardeios de meteoritos terem terminado, cerca de 3,9 bilhões de anos atrás, o oceano e a atmosfera presentes foram formados.

A maioria das águas superficiais da Terra (97%) acumulou-se em bacias oceânicas, com quantidades menores (cerca de 3%) formando camadas de gelo espessas sobre o que são agora a Groenlândia e a Antártica. Apenas uma pequena fração da água da Terra ocorreu em lagos, rios ou geleiras nas montanhas.

À medida que os organismos vivos evoluíram e se tornaram mais abundantes, modificaram a composição da atmosfera da Terra. Por exemplo, a fotossíntese contribuiu com o oxigênio, possibilitando a evolução dos animais.

Hoje, as formas de vida da Terra dependem de água. Toda matéria viva é composta de 60 a 70% de água. Cerca de dois terços do corpo humano é composto de água. Os seres humanos não podem viver mais de uma semana sem beber água. Mais uma razão pela qual podemos associar o título Terra: Planeta Água!

Movimento de água na terra

A água da Terra se move em vários ciclos, cada um conduzido por diferentes fontes de energia e atuando em vários períodos de tempo.

Ciclos abaixo da superfície da Terra

O ciclo mais lento que afeta o movimento da água da Terra é chamado de placas tectônicas. Alimentado pelo calor do interior da Terra, os processos tectônicos atuam há milhões, e provavelmente bilhões de anos, movendo lentamente a crosta terrestre para construir continentes e formar bacias oceânicas.

A atividade vulcânica e metamórfica associada às placas tectônicas derrete e extrai água e gases de rochas profundamente enterradas, e mais tarde os libera na superfície da Terra durante erupções vulcânicas. A atividade vulcânica também forneceu grande parte dos sais do oceano. A água do mar flui através de rochas vulcânicas fraturadas, recém-formadas e quentes nas cristas do meio do oceano e reage quimicamente com elas. Os sais são descarregados no oceano.

Sais minerias também são passados aos oceanos através de depósitos de sedimentos (por exemplo, areias e cascalhos) e através de formações rochosas aquosas conhecidas como aquíferos.

Ciclos acima da superfície da Terra

Em um processo conhecido como ciclo hidrológico, a água se evapora das superfícies oceânicas aquecidas pela energia do Sol. A maioria do vapor se condensa rapidamente e cai sobre o oceano como chuva.

Os ventos garantem o movimento das águas dos oceanos. As correntes de ar fluem principalmente de leste a oeste perto do equador.

Quando as águas do oceano se esfriam perto dos pólos, elas tornam-se mais densas e afundam abaixo da superfície. Lá elas fluem lentamente em correntes subterrâneas lentas em direção ao Equador. Onde, eventualmente, retornam à superfície para serem aquecidas e para reiniciar o ciclo. Tais correntes subterrâneas levam centenas de anos para completar seu ciclo. Essas correntes subterrâneas fazem parte do sistema de aquecimento da Terra.

Embora as correntes oceânicas subterrâneas lentas envolvam movimentos de água medidos ao longo de séculos, as correntes oceânicas superficiais movem a água do mar através das bacias oceânicas em períodos de tempo medidos em anos. Os ventos podem transportar o vapor de água através dos continentes em apenas alguns dias.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação sobre o nosso Terra: Planeta Água, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!