Parlamentarismo e Presidencialismo → Diferenças, vantagens e desvantagens

alterar esquema de cores outlook

Existem países pelo mundo com as mais variantes formas de governo, mas duas delas se destacam por representarem a maioria das representações: Parlamentarismo e Presidencialismo. E hoje abordaremos quais as diferenças entre parlamentarismo e presidencialismo e as vantagens e desvantagens de cada um desses sistemas.

Esse tema é comumente discutido em sociologia, geografia e história. Causa muitas dúvidas em algumas mentes e vamos nesse texto resumo dar os conceitos básicos de cada um deles. Vamos lá:diferença entre presidencialismo e parlamentarismo

Diferença entre Parlamentarismo e Presidencialismo 

No presidencialismo o presidente do país é eleito pelo voto direto e o mesmo possui muitos poderes com o de impedir ações do Executivo. Todas as decisões importantes passam por ele, devendo fiscalizar e analisar as ações do Executivo para tomar decisões. Aqui ele é um indivíduo muito importante e poderoso pois é eleito pelo voto popular, o que legitima suas decisões. Alguns exemplos desse sistema de governo são: Argentina, Brasil, Estados Unidos, Chile, Colômbia, México e Uruguai.

No parlamentarismo, por outro lado, o governo é parlamentarista. Ou seja, o principal representante do país não é eleito pelo voto direto. Isso faz com que o chefe do executivo perca poder, sendo que pode, muitas vezes, ser demitido por contrariar a opinião do mesmo. Ou seja, o poder do primeiro ministro(nome dado ao candidato escolhido para ser o principal chefe do executivo) é limitado e condicionado pelo executivo. Exemplos de países que adotam esse sistema de governo são: Reino Unido, Suécia, Japão, Botsuana, África do Sul e Suriname

Presidencialismo e Parlamentarismo Vantagens e Desvantagens

O presidencialismo possui como vantagens:

  • presidente eleito pelo voto direto;
  • legitimidade democrática do presidente;
  • maior poder ao mesmo;
  • o mesmo não fica refém do executivo.

E como desvantagens:

  • muito poder em cima de uma pessoa;
  • o mesmo pode fazer coisas ruins sem sofrer penas;
  • possui poder de atrapalhar as ações do executivo de acordo com sua ideologia;
  • pode escolher pessoas incapacitadas para compor o governo;
  • há muito jogo político e, consequentemente, aumento no pagamento de propinas.

O parlamentarismo possui como vantagens:

  • o primeiro ministro pode ser demitido pelo executivo se não agradar;
  • poder reduzido, logo as chances de fazer coisas erradas diminuem;
  • responde ao executivo em primeiro momento, o que ajuda a tomar decisões;
  • possui por trás muitas pessoas envolvidas nas tomadas de decisão.

E como desvantagens:

  • não é eleito pelo voto direto popular;
  • não possui legitimidade democrática do presidente;
  • possui pouco poder e pode ser facilmente substituído se não agradar;
  • a capacidade de escolher aliados de confiança para o governo é reduzida.

E aí, deu pra entender a diferença entre presidencialismo e parlamentarismo? Deixe um comentário com dúvidas, sugestões ou correções que devam ser feitas no artigo para que ajudemos um número maior de pessoas.

África Subsaariana – Aspectos Gerais

África Subsaariana é região que engloba os países africanos situados ao sul do deserto do Saara. A região possui clima, cultura e apectos geográficos e sociais diversos.

É a região mais pobre do mundo, segundo dados do Banco Mundial. Sendo que, dos 973,4 milhões de habitantes, apenas 37% moram em região urbana. A expectativa de vida é de apenas 58 anos e a renda per capita US$ 1.638. Comparando esses dados com os dos Estados Unidos e Brasil, respectivamente, percebe-se a grande desigualdade: a expectativa de vida é de 79 e 74 anos e a renda per capita de US$ 55,200 e US$ 11,530.

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

A população enfrenta diversos problemas com a pobreza, fome, sede, conflitos e doenças.

Países da África Subsaariana

Os países que constituem a África Subsaariana são:

  • África do Sul,
  • Angola,
  • Benin,
  • Botsuana,
  • Burkina Fasso,
  • Burundi,
  • Camarões,
  • Cabo Verde,
  • Chade,
  • Congo,
  • Costa do Marfim,
  • Djibuti,
  • Guiné Equatorial,
  • Eritreia,
  • Etiópia,
  • Gabão,
  • Gâmbia,
  • Gana,
  • Guiné,
  • Guiné-Bissau,
  • Ilhas Comores,
  • Lesoto,
  • Libéria,
  • Madagáscar,
  • Maláui,
  • Mali,
  • Mauritânia,
  • Maurício,
  • Moçambique,
  • Namíbia,
  • Níger,
  • Nigéria,
  • Quênia,
  • República Centro-Africana,
  • Ruanda,
  • República Democrática do Congo,
  • São Tomé e Príncipe,
  • Senegal,
  • Seychelles,
  • Serra Leoa,
  • Somália,
  • Sudão,
  • Suazilândia,
  • Tanzânia,
  • Togo,
  • Uganda,
  • Zâmbia, e,
  • Zibábue.

História

No século XIX  a região era conhecida como África Negra pelos ocidentais devido à habitação por pessoas negras. Tal termo caiu em desuso e é considerado pejorativo.

A região é considerada berço da humanidade.

Geografia

Seu terreno é estável, formado principalmente, por um grande planalto.

Possui uma área com florestas tropicais úmidas próxima ao trópico do Equador. Ao sul encontra-se a savana, maior parte da África Subsaariana, e também o deserto de Kalahari, que se estende até a costa do Oceano Atlântico.

A região sobre com a escassez de água, o que agrava a pobreza e precariedade da qualidade de vida dos habitantes.

Economia

Sua principal fonte de receita é o extrativismo, com geração de energia a partir do petróleo. A região petrolífica também é um dos principais pontos de distúrbios alimentares, corrupção, disputas políticas e declínio econômico.

Língua e Religião

Os idiomas falados na África Subsaariana são originários do Bantu, totalizando cerca de 600 línguas. Devido à influência europeia, há países que falam francês, português e inglês.

A religião predominante é a católica, porém há uma grande parcela de muçulmanos e aqueles que seguem religiões indígenas tradicionais africanas.

Aids

A África sofre com uma pandemia de Aids, que já deixou mais de uma dezena de milhões de orfãos. Fato que também prejudica a capacidade produtiva dos países. As causas principais do alto índice de contaminação são a exploração sexual e a falta de tratamento feminino, já que as mulheres são consideradas seres inferiores.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual

O Desenvolvimento Sustentável é uma coisa que nós como humanos estamos longe de alcançarmos. A evolução das tecnologias tem um preço e, muitas vezes, esse preço são os Problemas Ambientais no Mundo. Cabe a nós pensarmos em formas de preservar o meio ambiente em que vivemos para que gerações futuras tenham o que desfrutar.

Uma melhor gestão dos recursos naturais é a solução desses problemas. Porém não dará certo se partir de governos, tem que partir de cada um de nós, da educação que temos, com a finalidade de termos uma melhor vivência e fornecermos isso a outras pessoas.

Aqui você verá os Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual e algumas soluções para tentar resolver eles.

Veja mais abaixo as informações:Quais os principais problemas ambientais no mundo atual

Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual

Com a evolução da tecnologia e da industrialização esses problemas tornaram-se corriqueiros. Empresas que trabalham de forma que não agridam o meio ambiente devem ser exaltadas e as que agridem devem ser bicotadas.

Governo nenhum é capaz de reduzir a degradação ambiental, o que deve ser feito é conscientizar as pessoas para usarem melhor os recursos pois os mesmos são escassos.

Segue a lista com os principais causados pelos humanos:

Poluição da água

Bem essencial à vida dos seres humanos, a água é um dos recursos naturais que mais sofrem com a falta de gestão do bem. A poluição, nesse caso, possui várias vertentes como:

  • Despejo de esgotos em rios e mares;
  • Lixo sendo jogado nos rios e mares;
  • Substâncias tóxicas e industriais jogadas nas águas;
  • Uso de água potável de forma descontrolada em grandes centros urbanos.

Os fatores acima são apenas alguns que interferem na qualidade de vida de todos nós. Sendo que podemos ter cenas como o desastre da mineradora Samarco em Mariana-MG, que, além do desastre ambiental causado pela empresa, causou a morte e destruição do distrito de Bento Rodrigues.

Além de nos afetar diretamente, afeta todo o ecossistema local, impedindo a vida de animais marinhos como os peixes que são fonte de sustento de muitas famílias.

Por isso esse é um dos principais Problemas Ambientais no Mundo Atual.

Poluição do ar

Esse é outro problema que devemos dar grande importância pois pode afetar muitos de nós. A principal causa é o gás carbônico(CO2) que pode ser produzido de muitas formas:

  • Através das queimadas de pastagens e florestas;
  • Através do gás emitido pela queima de petróleo pelos carros;
  • Através da queima de carvão mineral utilizado nas indústrias.

Os acima são as principais causas dessa poluição que pode causar sérios problemas respiratório e, até mesmo, causar coisas como as chuvas ácidas.

Desmatamento

Diariamente vemos notícias de que o desmatamento está muito acentuado em certas partes do mundo. Isso ocorre, principalmente, porque há a necessidade de expansão dos territórios ocupados com a finalidade de estabelecer atividades do agronegócio ou devido à exploração da madeira.

Claro que muitos governos proíbem esse tipo de atividade, mas isso não adianta. Volto a bater nessa tecla: o que necessitamos é da conscientização através da educação e não de mais leis.

Motivos pelos quais podemos ver o desmatamento em grande escala podem ser por:

  • Aumento da área para a prática da pecuária;
  • Aumento da área para a prática da agricultura;
  • Aumento da área para a moradia;
  • Desmatamento para a venda da madeira.

As principais consequências desse mal são a extinção de várias espécies de animais e plantas e a contribuição na poluição do ar(visto que são as plantas que transformam o gás carbônico em oxigênio para que possamos respirar).

Cabe a cada um de nós termos consciência na utilização desse recurso e fazermos com que sua exploração seja feita de maneira consciente e não visando apenas o luco financeiro.

Poluição dos solos

Esse problema pode afetar as plantas e animais que consumimos, bem como a água que tomamos. Ele pode ter várias causas como:

  • Descarte de lixo em locais inapropriados;
  • Contaminação por agrotóxicos;
  • Conta.inação por fertilizantes;
  • Contaminação por produtos tóxicos provenientes de indústrias.

O ideal seria fazer o planejamento de tudo o que consumimos e tentar fazer com que os recursos sejam melhor administrados. Mas isso é difícil pois o mundo é muito grande e depende de cada parcela da população se ajudar nessa luta contra a poluição do solo.

Uma ideia que vem ganhando muitos adeptos é a agricultura orgânica, totalmente livre de agrotóxicos e produtos químicos, mas ela ainda não é feita em grande escala. Mas creio que seja uma tendência para o futuro.

Extinção de animais

Existem um grande número de animais em extinção. Uma parte deles é por causa da evolução e outra parte é porque é forçada por nós, humanos. Acabamos com o ecossistema desses seres vivos e fazemos a caça predatória, o que contribui para que acelere o processo de extinção de algumas espécies.

Mas esse é um dos fatores que menos nos afeta, embora seja uma das mais cruéis. A ideia é pensar no mundo como um grande organismo vivo e que cada um dos seres que nele habitam são necessários para a vida tal como ela é. Assim, tendemos a ter mais compaixão pelos animais e preservar mais.

Preservar os ecossistemas é muito importante. Preservar as matas nativas, os animais e as águas para termos um mundo mais saudável a todos.

Aquecimento Global

Esse é outro grande efeito da poluição do ar e do desmatamento. A cada ano a temperatura média do planeta Terra aumenta, causando uma aumento no derretimento das geleiras nos pólos e, com isso, o aumento no nível dos oceanos.

Isso ocorre porque o ar, quando mais poluído, tende a reter mais o calor que é irradiado pelo Sol. Consequentemente a temperatura tende a ser maior.

Porém o aumento é pequeno a cada ano, tornando o aumento insensível para algumas pessoas. Levando a acreditar que isso é um “mito”, mas nunca foi tão real.

Diminuição da Camada de Ozônio

A emissão de certos tipos de gases tendem a agredir a Camada de Ozônio, fazendo com que a filtragem dos raios solares não seja feita corretamente. Isso aumenta a incidência dos mesmos e, como consequência, aumenta o número de casos de problemas como o câncer de pele.

Devemos tentar não poluir o ar pois ele é altamente importante para nós.

Chuva Ácida

É uma das consequências da poluição do ar. Os poluentes reagem com a água gerando ácido sulfúrico e ácido nítrico. Pode atingir pessoas a milhares de quilômetros daquelas que poluíram o ar.

Há um empobrecimento do solo, empobrecimento da vegetação e a corrosão de alguns monumentos de mármore. Além disso, há uma acidificação das águas, o que causa contaminação dos peixes e seres vivos que utilizam-se daquele habitat para sobrevivência.

Isso prejudica as pessoas que ganham a vida com agricultura e com a pesca. Podendo causar problemas de saúde a todos nós.

Soluções para os Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual

Existem várias práticas que podem auxiliar nesse processo para a solução dos Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual, todas elas dependendo a melhoria da educação das pessoas. Algumas são bem simples e podem ser feitas por você hoje mesmo:

Uso consciente da água: Não deixe a torneira aberta enquanto escova os dentes ou ensaboa os pratos e não deixe o chuveiro aberto enquanto passa o sabonete pelo corpo.

Uso consciente da energia elétrica: Não deixe luzes acesas quando não estiver no cômodo, não passe muito tempo no chuveiro, não passe muitas roupas e invistas em tecnologias como a energia solar e a energia eólica.

Plantio orgânico: Tente plantar hortaliças, temperos e alguns outros produtos para o consumo próprio.

Comprar de empresas amigas do meio ambiente: Estude se determinada empresa agride o meio ambiente antes de comprar da mesma.

Não jogue lixo na natureza e recicle: Não jogue lixo em ruas, lagos, oceanos, mares e na natureza e sempre tente reaproveitar as embalagens e o que for jogar fora.

Claro que isso é um pequeno passo, mas somos uma união de pessoas. Cada um de nós deve fazer a sua parte para acabar com o problema e não ficar esperando uma solução vinda de terceiros.

Embora as ações sejam individuais, outras coisas poderiam ser feitas por parte da humanidade como tentativa de melhoria da vida de todos no mundo como:

Estimulação da agricultura orgânica: Com isso diminuiria-se o uso de agrotóxico e, consequentemente, haveria uma menor agressão ao solo.

Diminuição no uso de agrotóxico: Melhoraria a saúde dos alimentos e diminuiria a poluição do solo.

Tratamento de esgoto: Haveria uma menor poluição das águas dos rios, lagos e mares, aumentando a oferta de água potável.

Uso de energia limpa: Investimentos empresariais poderiam ser feitos em energias limpas como a eólica e a solar para diminuir a degradação ambiental.

Uso de substâncias biodegradáveis: Industrias poderiam investir no desenvolvimento de substâncias que não agridam o meio ambiente para utilizar as mesmas nos seus empreendimentos.

Essas foram só algumas ideias para tentar acabar com alguns dos Principais Problemas Ambientais no Mundo Atual, mas isso é pouco provável de acontecer. Cabe a nós fazermos nossa parte para termos um mundo melhor. O que você achou desse artigo? Deixe um comentário com a sua opinião sobre o mesmo para que possamos ajudar um número maior de pessoas.

Ilha de Java – a ilha dos vulcões

A Indonésia é um país com riquezas naturais lindísimas e não é a toa que é um dos destinos mais procurados por turistas que buscam paisagens naturais. O destino que mais se destaca é a principal ilha do país: a Ilha de Java.

A ilha é repleta de belezas naturais e de manifestações culturais marcantes e belas.

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

A origem da Ilha de Java

Durante um longo período a ilha de Java foi um importante reino hindu, muito poderoso militarmente, e, consequentemente, exercia domínio por toda a região.

Porém, durante o período colonial, a Companhia Neerlandesa das Índias Orientais tomou a ilha e a tornou seu principal território.

Dados da Ilha de Java

Possui um território de 132000 km², cercada pelo mar de Java e localizada entre as ilha de Bali e Sumatri.

É a ilha mais povoada do mundo, sendo assim, também, uma das regiões com maior denssidade demográfica do planeta. Possui, atualmente, mais de 124 milhões de habitantes, sendo cerca de 60% da população do país.

É popularmente conhecida como a ilha dos vulcões, por sua origem ser vulcânica e possuir mais de 30 vulcões em seu território, muitos deles ativos.

Também é muito reconhecida pelo cultivo de arroz, principal produto produzido do ponto de vista agrícola. Possui ótimas infra-estruturas, é altamente desenvolvida na indústria, sendo o centro da economia Indonésia.

Na ilha de Java se localizam importantes cidades da Indonésia, incuindo a capital Jacarta.

No turismo de destaca pelas belas paisagens naturais, dos arrozais e dos vulcões. Ainda são destaques templos hindus e budistas, de importância mundial, como os de Prambanan e Borobudur.

Vulcões

Como dito anteriormente a Ilha de Java é rica em vulcões, e entre eles o mais ativo da Indonésia: Monte Merapi com 2930 metros.  Confira alguns vulcões e suas respectivas extensões:

  • Monte Gede – 2958 metros.
  • Monte Pangrango – 3019 metros.
  • Monte Tangkuban Parahu – 2084 metros.
  • Monte Papandayan – 2665 metros.
  • Monte Monte Kendang – 2608 metros.
  • Monte Guntur – 2249 metros.
  • Monte Galunggung – 2168 metros.
  • Monte Cereme – 3078 metros.
  • Slamet – 3432 metros.
  • Monte Dieng – 2565 metros.
  • Monte Sundoro – 3135 metros.
  • Monte Sumbing – 3371 metros.
  • Monte Ungaran – 2050 metros.
  • Monte Merbabu – 3145 metros.
  • Monte Merapi – 2930 metros.
  • Monte Lawu – 3265 metros.
  • Monte Wilis – 2563 metros.
  • Monte Kelut – 1731 metros.
  • Monte Arjuno-Welirang – 3339 metros.
  • Monte Semeru – 3676 metros.
  • Monte Bromo – 2329 metros.
  • Monte Iyang-Argapura – 3088 metros.
  • Monte Raung – 3332 metros.
  • Monte Ijen – 2799 metros.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Pontos cardeais e colaterais – O que são?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar de pontos cardeais e colaterais, certo? Ou mesmo visto uma rosa dos ventos em algum lugar… Se não, pode ser que você ainda não tenha estudado esse assunto na escola, ou até mesmo ter esquecido com o tempo. Por isso o Toda Hora vai explicar tudo sobre a rosa dos ventos e os pontos cardeiais, colaterais e subcolaterais.

Esses pontos

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

Pontos de orientação

A necessidade de localização e orientação sempre foi extremamente importante para o homem e todas as atividades no espaço geográfico. Afinal, para se deslocar você deve saber onde está e para onde ir, certo? Por isso, o homem, baseado na posição do sol, elaborou técnicas de padronização das direções: os pontos de orientação.

As civilizações antigas perceberam que a trajetória do Sol era semelhante todos os dias, e, assim, estabeleceram sua movimentação. E a partir da posição do sol durante o dua foram criados os pontos leste, posição do sol ao nascer, e oeste, posição contrária em que o sol se põe.

Outras estrelas, além do sol, foram observadas, a fim de determinar os pontos de orientação. A estrela polar, com sua localização constante no espaço, foi a responsável por determinar o ponte norte, e assim o sul.

Esses pontos formam os pontos cardeias. Para determinar uma localizção mais precisa, surgiu a necessidade da criação de outros pontos, intermediários aos cardeais. Formando assim os pontos de orientação: pontos cardeais e colaterais.

Pontos cardeais e colaterais

Esses pontos são representadados graficamente pela rosa dos ventos:

Pontos Cardeais

Os pontos cardeais, são os principais pontos de orientação. Eles estão representados na figura da rosa dos ventos acima na cor vermelha. São:

  • Norte: representado pela letra N.
  • Sul: representado pela letra S.
  • Leste: representado pela letra L.
  • Oeste: representado pela letra O.

Por isso, inclusive, que os nomes de algumas das regiões do Brasil são similares aos pontos cardeais.

Pontos Colaterais

Os pontos colaterais complementam os pontos cardeais e são mais precisos. Eles estão representados na figura da rosa dos ventos acima na cor azul. São:

  • Nordeste: representado pelas letras NE.
  • Noroeste: representado pelas letras NO.
  • Sudeste: representado pelas letras SE.
  • Sudoeste: representado pelas letras SO.

Pontos Subcolaterais

Há ainda os pontos subcolaterais, que complementam os pontos cardeais e os pontos colaterais, sendo ainda mais precisos. Eles estão representados na figura da rosa dos ventos acima na cor amarela. São:

  • Nordeste: representado pelas letras NE.
  • Noroeste: representado pelas letras NO.
  • Sudeste: representado pelas letras SE.
  • Sudoeste: representado pelas letras SO.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Crescimento Vegetativo – O que é?

Tabela: diferença de macroeconomia e microeconomia

Você provavelmente já ouviu falar em crescimento vegetativo ou natural, certo? Mas você sabe o que é o crescimento vegetativo e ccomo é feito o cálculo? O Toda Hora irá explicar tudo, confira!

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

Crescimento Vegetativo

Também chamado de crescimento natural, crescimento vegetativo é a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de um determinado local ou país geralmente expressa em porcentagem. É um dado muito importante para os estudos da população.

Esse índice pode apontar diversos dados para a região analisada. Como, por exemplo, se a população está vivendo mais, se tem tido uma queda na taxa de natalidade. Com esses dados pode-se analisar diversos outros fatores dentro do âmbito organizacional da região, na saúde, previdência, educação e campanhas de conscientização.

Também é um importante dado que diverge entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos, já que aponta a realidade social da região. Porém não pode ser considerado isoladamente para essa análise. Já que eventos como epidemias, catástrofes naturais e até mesmos conflitos violentos podem assolar uma parcela significadtiva da população.

Em países desenvolvidos, geralmente, as taxas de natalidade e mortalidade são baixas, devido ao bom envelhecimento da população e de políticas pessoais de “menos filhos”.

Como o crescimento vegetativo depende desses outros conceitos, então vamos conhecê-los:

Taxa de Natalidade

A Taxa de Natalidade representa o número de nascimentos vivos por mil habitantes, no período de um ano em uma região em específico. As taxas de natalidade diminuíram consideravelmente com o tempo, já que as famílias têm tido menos filhos. Um dos fatores que ocasionaram essa queda é o planejamento familiar e a integração crescente da mulher no mercado de trabalho. A taxa de natalidade é expressa pela seguinte fórmula:

Taxa de Mortalidade

A Taxa de Mortalidade representa o número de mortes registradas por mil habitantes, no período de um ano em uma região em específico. Podem representar inúmeras situações, como envelhecimento da população e problemas de saúde, entre outros. A taxa de mortalidade é expressa pela seguinte fórmula:

Como calcular o crescimento vegetativo

 

 

Para se calcular o crescimento natural, deve-se ter conhecimento das taxas de natalidade e mortalidade, já que, como dito anteriormente, é a diferença entre essas duas grandezas. Assim, para realizar o cálculo do crescimento vegetativo, é preciso conhecer esses dois conceitos em questão.

Seja:

CV: Crescimento Vegetativo

Tn: Taxa de natalidade

Tm: Taxa de mortalidade

Logo, a expressão que representa o crescimento vegetatitvo, é:

CV = Tn – Tm

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Terra: Planeta Água – Por que?

3

Ouvimos muito a expressão Terra: Planeta Água, mas o porquê do nosso planeta ser chamado assim? Com tanto desperdício, várias políticas e campanhas de conscientização para a preservação e economia da água, ainda podemos ser denominados Planeta Água?

Veja também outros artigos relacionados à Geografia.

Terra: Planeta Água

Entre os planetas orbitando o Sol, a Terra é claramente o “planeta da água”. A água ocorre em sua superfície como líquido, gelo e gás. As águas oceânicas agora cobrem quase 71 por cento da superfície terrestre, enquanto as águas frescas nos lagos e rios cobrem menos de 1 por cento. Folhas grossas de gelo cobrem as regiões polares da Terra, e as geleiras estão espalhadas por suas montanhas mais altas. A água em forma de nuvens protege a metade da superfície da Terra a qualquer momento. As erupções vulcânicas extraem continuamente água e gases de rochas profundas no interior da Terra.

Com esses dados claramente vê-se o porquê dessa nomenclatura. Recebemos o título por sermos o único planeta do nosso universo com água líquida. Ou seja, devido a nossa composição. Essa abundância do recurso natural é possível ser observado através do espaço, como as fotos retiradas pela NASA. Afinal, não desenhávamos o planeta Terra na escola de azul e verde a toa, não é mesmo?

Porém não dá para ficar muito entusiasmado, já que a água que pode ser utilizada para consumo corresponde à mínima fração de toda a água da sueprfície terrestre. E desse menos de 1%, há outros fatores a serem levados em consideração, como que nem toda essa água é potável e pronta para consumo ou está poluída.

Terra

A água e os gases provenientes de cometas e meteoros que colidem com a Terra, acredita-se, contribuíram para o seu oceano e atmosfera durante vários bilhões de anos. Depois de intensos e destrutivos bombardeios de meteoritos terem terminado, cerca de 3,9 bilhões de anos atrás, o oceano e a atmosfera presentes foram formados.

A maioria das águas superficiais da Terra (97%) acumulou-se em bacias oceânicas, com quantidades menores (cerca de 3%) formando camadas de gelo espessas sobre o que são agora a Groenlândia e a Antártica. Apenas uma pequena fração da água da Terra ocorreu em lagos, rios ou geleiras nas montanhas.

À medida que os organismos vivos evoluíram e se tornaram mais abundantes, modificaram a composição da atmosfera da Terra. Por exemplo, a fotossíntese contribuiu com o oxigênio, possibilitando a evolução dos animais.

Hoje, as formas de vida da Terra dependem de água. Toda matéria viva é composta de 60 a 70% de água. Cerca de dois terços do corpo humano é composto de água. Os seres humanos não podem viver mais de uma semana sem beber água. Mais uma razão pela qual podemos associar o título Terra: Planeta Água!

Movimento de água na terra

A água da Terra se move em vários ciclos, cada um conduzido por diferentes fontes de energia e atuando em vários períodos de tempo.

Ciclos abaixo da superfície da Terra

O ciclo mais lento que afeta o movimento da água da Terra é chamado de placas tectônicas. Alimentado pelo calor do interior da Terra, os processos tectônicos atuam há milhões, e provavelmente bilhões de anos, movendo lentamente a crosta terrestre para construir continentes e formar bacias oceânicas.

A atividade vulcânica e metamórfica associada às placas tectônicas derrete e extrai água e gases de rochas profundamente enterradas, e mais tarde os libera na superfície da Terra durante erupções vulcânicas. A atividade vulcânica também forneceu grande parte dos sais do oceano. A água do mar flui através de rochas vulcânicas fraturadas, recém-formadas e quentes nas cristas do meio do oceano e reage quimicamente com elas. Os sais são descarregados no oceano.

Sais minerias também são passados aos oceanos através de depósitos de sedimentos (por exemplo, areias e cascalhos) e através de formações rochosas aquosas conhecidas como aquíferos.

Ciclos acima da superfície da Terra

Em um processo conhecido como ciclo hidrológico, a água se evapora das superfícies oceânicas aquecidas pela energia do Sol. A maioria do vapor se condensa rapidamente e cai sobre o oceano como chuva.

Os ventos garantem o movimento das águas dos oceanos. As correntes de ar fluem principalmente de leste a oeste perto do equador.

Quando as águas do oceano se esfriam perto dos pólos, elas tornam-se mais densas e afundam abaixo da superfície. Lá elas fluem lentamente em correntes subterrâneas lentas em direção ao Equador. Onde, eventualmente, retornam à superfície para serem aquecidas e para reiniciar o ciclo. Tais correntes subterrâneas levam centenas de anos para completar seu ciclo. Essas correntes subterrâneas fazem parte do sistema de aquecimento da Terra.

Embora as correntes oceânicas subterrâneas lentas envolvam movimentos de água medidos ao longo de séculos, as correntes oceânicas superficiais movem a água do mar através das bacias oceânicas em períodos de tempo medidos em anos. Os ventos podem transportar o vapor de água através dos continentes em apenas alguns dias.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação sobre o nosso Terra: Planeta Água, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

O que é clima? → Tipos e fatores determinantes

2

Muitas pessoas acham que clima é a temperatura que está fazendo na cidade em um determinado dia. Isso não é verdade. Você sabe o que é clima? Vamos esclarecer esse conceito.

Veja também a seção de artigos sobre geografia.

O que é clima?

O que é clima - mapa de clima

É o padrão de temperatura de um determinado local ao longo de vários anos. A forma mais fácil de achar o clima de um local é verificar a temperatura média e a quantidade média de chuva ao longo de vários anos.

Outros fatores que ajudam a defini-lo são: a intensidade e o momento da chuva, a quantidade de raios solares, a velocidade média e a direção do vento, as temperaturas extremas e a geografia do local.

Para descobrir o clima de um local, basta analisar as estatísticas da temperatura ao longo dos anos. Porém, para saber o porquê dele ser diferente de uma região para outra, é muito mais difícil. Para fazer essa análise é preciso entender todos os fatores que o influenciam.

Quais são os elementos que compõem o clima?

Ele depende de uma série de fatores: latitude, elevação, distância da água, correntes marítimas, topografia, vegetação e ventos.

  • Latitude: as temperaturas da superfície variam com a latitude.
  • Elevação: as zonas climáticas apresentam uma certa coincidência com os intervalos de elevação.
  • Distância da água: a temperatura da superfície do mar afeta a temperatura da terra.
  • Correntes Marítimas: a temperatura da água indica a transferência de energia térmica pelas correntes.
  • Topografia: variações locais na elevação podem causar variações locais na temperatura.
  • Vegetação: o tipo do solo e as mudanças sazonais afetam a temperatura.
  • Ventos: o vento fornece massas de ar com propriedades específicas.

Tipos de clima

Os principais tipos são: equatorial, tropical, temperado, subtropical, mediterrâneo, frio, frio de Montanha, polar, desértico e semiárido. Vamos falar sobre as características de alguns desses citados acima.

O que é clima semiárido?

Ele se encontra em regiões de deserto e no Nordeste do Brasil, possui temperatura média anual de 25ºC a 30ºC, baixa umidade e poucas chuvas ao longo do ano.

O que é clima tropical?

Apresenta temperatura média anual de 20ºC. O verão é quente e úmido e o inverno é frio e seco. A umidade depende da onde a região está localizada. No geral, as regiões entre os trópicos de Câncer e Capricórnio possuem essa condição.

O que é clima equatorial?

Ele possui temperaturas médias anuais em torno de 25ºC. Além disso, a variação da temperatura ao longo do ano é pequena e a região é muito úmida. Ele é encontrado na Amazônia, África e nas regiões próximas a Linha do Equador.

O que é clima subtropical?

Possui grande variação de temperatura durante o ano. Enquanto no verão a temperatura pode chegar a 30ºC, no inverno ela pode chegar a ser negativa. As estações não apresentam temperaturas regulares e as chuvas são constantes durante o ano, mas com maior volume no verão.

Fontes: classzone  study

Domínios Morfoclimáticos do Brasil

Significado de Cultura erudita   O que é, Conceito e Definição

Os domínios morfoclimáticos são divisões feitas em uma região para classificar diversas áreas em relação ao relevo, clima, vegetação, solo e hidrografia.

Esse tipo de classificação não é algo intuitivo e por isso é feita por geólogos. No Brasil, o responsável por fazer essa avaliação foi o geólogo Aziz Ab’Sáber.

Domínios morfoclimáticos do Brasil

De acordo com Ab’Sáber o Brasil possui 6 domínios morfoclimáticos: pradarias, mares de morros, cerrado, caatinga, araucárias, amazônico.

Pradarias

Domínios Morfoclimáticos - Pradarias

Fonte: portuguese

É uma planície vasta e aberta onde não há sinal de árvores nem arbustos, com capim baixo em abundância. Ocorre em regiões em que a quantidade de chuva não é suficiente para manter a vegetação. O pampa gaúcho é um exemplo dessa categoria.

Mares de morros

Domínios Morfoclimáticos - Mares de morros

Fonte: dicadeondefica

O nome mar foi dado pela semelhança das montanhas com as ondas do mar. Já o nome morros foi dado pelo grande número de morros (montanhas) nessa região, formados pelas erosões que ocorreram ao longo dos anos.

Cerrado

Domínios Morfoclimáticos - Cerrado

Fonte: portuguese

Suas características são árvores baixas, arbustos espaçados e gramíneas. A principal característica desse bioma são os seus arbustos de galhos retorcidos e o clima bem definido.

Esse tipo de bioma pode ser observado em Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais.

 

Caatinga

Domínios Morfoclimáticos - CaatingaFonte: estudokid

O nome Caatinga significa mata branca em tupi-guarani, fazendo uma referência à vegetação desse bioma no período de seca, que perde suas folhas e fica com aspecto esbranquiçado.

O clima possui altas temperaturas, com média anual de 25ºC a 30ºC. A chuva não é bem definida na Caatinga. Porém, no geral, ocorrem poucas chuvas durante o ano. Além disso, a maioria dos solos são ricos em minerais.

A caatinga é o principal bioma do Ceará e da Bahia.

Araucárias

Domínios Morfoclimáticos - Araucárias

Fonte: ruralpecuaria

O clima é chuvoso ao longo de todo o ano, oscilando entre períodos mais e menos chuvosos. O inverno normalmente é muito frio e o verão é razoavelmente quente.

Essa vegetação é formada por árvores que possuem frutos e que não possuem frutos. As araucárias estão presentes no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Amazônico

Domínios Morfoclimáticos - Amazônico

Fonte: achetudoeregiao

O clima é quente e úmido, com temperatura anual média de 25ºC e fortes chuvas. Cerca de 75% dos solos possuem altos níveis de acidez e baixa fertilidade.

O bioma amazônico possui a maior diversidade biológica do mundo, abrigando mais que a metade de todas as espécies vivas. As espécies já registradas são aproximadamente: 1.400 peixes, 520 anfíbios, 550 répteis, 1.000 aves e mais que 300 mamíferos.

Mapa dos domínios morfoclimáticos do Brasil

Domínios Morfoclimáticos - mapa de domínios morfoclimáticos

Fonte: suapesquisa

 

Fonte: wikipedia1  todamateria  infoescola  ecoturismoaventura

Floresta Temperada – Características

A Floresta Temperada são formações vegetais típicas de regiões de clima temperado. Podem ser encontradas entre os trópicos e as regiões polares nos Hemisférios Norte e Sul. São também chamadas de florestas de quatro estações, porque exibem as quatro estações bem definidas.

As formações vegetais mais comuns nas florestas temperadas são florestas de coníferas e bosques com árvores de folhas caducas e perenes.

Regiões onde pode ser encontrada

Estão localizadas em locais com climas moderados, onde as estações mudam definidamente, e muitos tipos de plantas podem crescer todo o ano.

Dois terços de todas as florestas tropicais temperadas estão no noroeste do Pacífico. Essas florestas recebem de 75 a 100 centímetros de chuva por ano.

As florestas decíduas temperadas são menos comuns. São as florestas nas quais as folhas mudam de cor e caem durante as estações de outono e inverno. Essas florestas estão localizadas no leste dos Estados Unidos, no oeste da Rússia, na China e na Europa.

  • Costa oeste dos Estados Unidos e Canadá.
  • Sul do Chile.
  • Norte da Espanha e Portugal.
  • Região oeste do Reino Unido.
  • Turquia.
  • Japão e leste e sul da China.
  • Região sudeste da Austrália.
  • Sudoeste da Argentina.
  • Costa ocidental da Nova Zelândia.
  • Oeste da Noruega.

Estações na Floresta Temperada

  • Inverno: durante este período a floresta parece morta, porque as folhas caíram das árvores. Nas florestas decíduas temperadas e temperadas, a maioria dos animais se esconde do frio ou migra para climas mais quentes e o terreno da floresta é coberto por neve.

  • Primavera: período do ano em que a vida selvagem retorna lentamente e as folhas crescem de volta às árvores.
  • Verão: período de intenso calor e uma proliferação de animais e plantas.
  • Outono: a temperatura fica mais amena e as folhas de árvores mudam de cor, atingindo cores avermelhadas e amareladas. Os animais começam a armazenar alimentos para o inverno.

Flora

O solo em florestas temperadas é muito fértil, e essas florestas são povoadas com vários tipos de árvores:

  • Árvores de folha caduca, como: bordo, carvalho e olmo.
  • Árvores de coníferas, como: pinheiro, abeto e cedro.
  • Árvores de folhas largas, que tipicamente povoam Regiões como Austrália, Nova Zelândia e o Mediterrâneo. Alguns exemplos são: azeitona, azevinho, chá e o eucalipto.

Musgos, samambaias e outros pequenos arbustos tendem a alinhar o chão da floresta.

Fauna

Todos os tipos de animais podem viver em florestas temperadas, devido ao clima moderado, solos férteis que convidam muitos tipos de plantas, a sombra das árvores e abundância de água.

Na Austrália, animais como koalas, gambás, wombats e outros marsupiais vagam pela floresta. Na Europa, os esquilos, texugos e aves canoras prosperam nas florestas. Nos Estados Unidos, ursos, linces, cervos e coelhos são moradores comuns da floresta. Os pandas prosperam nas florestas temperadas da China.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação sobre Floresta Temperada, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!