Principais Fontes de Energia → Hidráulica, Eólica, Fóssil, Solar

14 motivos para aprender a usar o Photoshop

Nos temos modernos utilizamos das leis da física para produzirmos energia. Algumas fontes são limpas, outras nem tanto, mas você sabe quais as Principais Fontes de Energia?

Caso não saiba, não se preocupe, esse artigo tratará desse tema e dará várias dicas sobre isso. Veja mais abaixo várias informações sobre o tema:Principais Fontes de Energia Eólica Hidráulica Solar Biomassa Nuclear

Principais Fontes de Energia

Existem várias formas de obtenção de energia elétrica a partir de outra fonte. Nem sempre é fácil, mas existem maneiras mais usadas que outras. Vejamos as mais importantes:

Energia Hidráulica

É a mais utilizada no país, obtida através do giro das turbinas pela água. Isso ocorre porque no Brasil existe grande quantidade de rios e isso faz com que esse tipo de obtenção se torne viável.

É uma fonte considerada limpa, embora haja impactos ambientais quando há a contenção de água para construir as represas.

Energia Nuclear

Acontece com a quebra de núcleos de substâncias como o Urânio. Embora não haja sujeira e seja uma fonte considerada limpa, caso hajam acidentes o impacto é grande na natureza.

Esse tipo de geração é um dos mais caros para se produzir e, além disso, gera grande quantidade de lixo nuclear que deve ser adequadamente descartado.

Energia Eólica

É uma das com maior potencial no Brasil devido à grande faixa litorânea que está sujeito a ventos durante todo o ano e com grande intensidade. O maior impacto desse tipo de geração é o visual. Mas ela é considerada uma das mais limpas fontes.

A Energia Eólica ainda representa um custo elevado, sendo assim não é muito usada no país. Mas fora do Brasil existem vários lugares onde ela é amplamente usada como China, Estados Unidos e Alemanha. Mas, por incrível que pareça, o nosso país ainda é o maior utilizador desse tipo de tecnologia na América Latina.

Energia Fóssil

Obtida a partir de substâncias formadas a milhões de anos no subsolo, esse tipo de energia é utilizado em grande escala no mundo pois é de fácil obtenção. Dentre eles destacam-se o petróleo, o gás natural e o carvão mineral.

Esse é um dos tipos que mais polui o meio ambiente e sendo muito nocivo ao Desenvolvimento Sustentável. Sendo assim, devemos tentar substituí-los por outras fontes sempre que der. Mas em certos casos ainda é totalmente inviável isso.

Energia Solar

Essa fonte é obtida a partir de placas que capturam os raios solares e os transformam em energia elétrica e térmica. É das formas mais limpas pois não produz poluição ambiental e nem visual.

A única dificuldade desse tipo de tecnologia é o elevado preço de implantação. Mas a longo prazo é uma das melhores opções do mercado.

Energia de Biomassa

É obtida a partir de gases extraídos da decomposição de materiais orgânicos. É uma das melhores fontes pois prega a reutilização dos componentes, outrora descartados no lixo, para a geração e, ainda, é possível utilizar o resto do processo como adubação orgânica.

Outro tipo pode utilizar a cana-de-açúcar e o milho para produzir o álcool que é utilizado com a mesma finalidade. Esse é até bem mais comum que a com rejeitos orgânicos.

Então essa é uma das formas que traz maiores benefícios para o meio ambiente a curto prazo pois o processo de implantação e produção é bem rápido.

Energia Geotérmica

O centro da Terra possui a temperatura muito elevada. É possível utilizar isso para a geração, mas é uma das fontes menos usadas. Os países que mais exploram esse tipo de fonte são: Islândia, Noruega, Dinamarca, Japão, Estados Unidos, Finlândia, Rússia, Coreia do Sul e a do Norte, Paquistão, Israel, Índia, França, China e a África do Sul.

Isso ocorre porque nos mesmos há grande concentração de vulcões e aberturas magmáticas, que permite facilidade na utilização do recurso.

Energia Gravitacional

Utilizam fatores gravitacionais, como a movimentação das marés, para a geração. É uma fonte limpa, que preserva os recursos naturais, e que muitos especialistas dizem que será a principal geradora no futuro.

Isso porque o mar é enorme, imagine o potencial que ele tem para isso. Mas a implantação ainda é muito cara, então dependemos de evolução científica para que isso ocorra no futuro.

Conclusão sobre as Principais Fontes de Energia

Como pode-se ver acima, existem várias possibilidades de geração. Mas as Principais Fontes de Energia apresentam uma característica em comum: Elas são manipuladas pelos humanos para atender às nossas necessidades.

A migração para fontes mais limpas tende a crescer de acordo com os recursos naturais existentes e com a necessidade populacional. Mas já existem tecnologias para tal, então vamos refletir e estimular as pessoas a migrarem para melhor.

O que achou desse artigo sobre as Principais Fontes de Energia? Deixe um comentário com dúvidas, sugestões, opiniões ou acréscimos que deveriam ser feitos no artigo para que ajudemos uma maior número de pessoas.

Eletromagnetismo → PDF, O que é e definição

A física apresenta várias teorias e leis interessantes. Um dos temas tratados é o Eletromagnetismo, que é o tema central desse artigo. Aqui verá um pouco sobre o tema e alguns sites que podem ser utilizados para baixar PDF com a teoria mais completa.

Portanto esse artigo é só um pequeno resumo do mesmo. Não aprofundaremos muito em fórmulas ou em teorias, apenas trataremos o assunto de forma básica para que possa entender o tema.

Vamos lá:Eletromagnetismo PDF fenomenos eletricos magneticos

O que é o Eletromagnetismo?

A um tempo atrás acreditava-se que a energia elétrica e o magnetismo eram fatores que agiam separados um do outro. Os dois fenômenos eram estudados em separados e em ambos os estudos eram obtidos resultados favoráveis.

Mas no início do século XIX, um cientista de nome Hans Christian Ørsted obteve evidências empíricas de que os dois fenômenos possuíam alguma relação. À partir disso foi-se investigando os dois fenômenos para tentar unificá-los, até que em 1861 James Clerk Maxwell unificou todas as teorias e as chamou de Eletromagnetismo.

Sendo assim, o Eletromagnetismo pode ser definido como:

Eletromagnetismo é a unificação dos estudos dos fenômenos elétricos e dos fenômenos magnéticos. Estabelecendo uma relação entre os dois fenômenos dependentes um do outro.”

Eletromagnetismo PDF

Existem vários sites que oferecem o PDF sobre o tema gratuitamente para download. Veja abaixo alguns dos melhores:

CEFET – Santa Catarina

Eles apresentam um texto bem completo com a história e com todas as definições, fórmulas e nomes importantes no tema.

Pode ser baixado através do link a seguir: ufsm.br

IFSC

Apresenta um texto bem resumido sobre os fenômenos envolvendo o tema. Mas é bem completo e apresenta alguns exemplos práticos de utilização.

Pode ser visto através do seguinte link: www.joinville.ifsc.edu.br

UTFPR

Apresenta o conceito bem resumido sobre o tema, mas bem completo. Apresenta assuntos como: Ondas Eletromagnéticas, Indução eletromagnética, Fluxo magnético, Sentido da corrente, Lei de Faraday-Neumann, Lei de Lenz.

Pode ser baixado através do seguinte link: utfpr.edu.br

Espero que esse artigo resumido tenha esclarecido o conceito do que é Eletromagnetismo e que aprofunde o seu conhecimento nos PDFs disponibilizados nos links deixados no artigo. Deixe comentários com dúvidas, críticas ou sugestões de melhoria no artigo.

Vetor Deslocamento → O que é e como é feito o mesmo

Um assunto comum em física mas muitas pessoas possuem dificuldades em saber o que é o Vetor Deslocamento e como o mesmo é gerado. Também pode levar o nome de Deslocamento Vetorial entre Dois Instantes e é uma representação muito importante.

Com o mesmo é possível fazer o cálculo da velocidade vetorial, visto que possui o tempo e o deslocamento. Veja um pouco mais abaixo:

O que é o Vetor Deslocamento?

Vetor Deslocamento Velocidade Vetorial Média
Imagem retirada de: osfundamentosdafisica.blogspot.com.br

É a simbologia que representa, independente da trajetória, a menor distância entre o ponto inicial e final de um corpo. Como a menor distância entre dois pontos é uma linha reta, a mesma é representada por um vetor. Esse significado propicia calcular a velocidade vetorial média nesse deslocamento.

Normalmente esse tipo de representação se dá no plano cartesiano ou em três dimensões.

Como é feito corretamente?

Para representá-lo é preciso saber do significado dito mais acima, abaixo duas formas mais comuns do mesmo:

Representação em uma retaVetor Deslocamento em uma reta

Nesse é bem fácil de saber pois o ponto final e o inicial coincidem com a reta. Para calcular a velocidade média vetorial, nesse caso, basta usar a seguinte fórmula:Velocidade vetorial media na reta

Onde:

V= Velocidade vetorial média do corpo

ΔS = P2 – P1

Δt = t2 – t1

Obs: É usada essa fórmula pois há deslocamento apenas na horizontal, se acontecesse também na vertical teria de ser usada outra fórmula, ou seja, a mesma para o segundo caso.

Representação em uma curvaVetor deslocamento em uma curva

Nesse caso, como podemos ver, é um pouco mais complicado. Mas não importa qual seja a trajetória, o que importa é sempre o ponto inicial(Pi) e o ponto final(Pf). Aí a velocidade vetorial média pode ser dada pela seguinte fórmula:

Velocidade vetorial de um vetor na curva

Onde:

Vm vetorial

= Velocidade vetorial média do deslocamento dado por duas ou mais dimensões

 

deslocamento vetorial símbolo

= Deslocamento vetorial dado por duas ou mais dimensões

 

Δt = t2 – t1

Coisas importantes a serem ditas

  • Não há dependência da trajetória, o mesmo é traçado usando apenas o ponto final e o inicial;
  • A velocidade média nos dará um vetor em tantas dimensões quanto as contidas no Vetor Deslocamento;
  • O módulo do Vetor Deslocamento é sempre menor ou igual à trajetória do corpo sobre a curva;
  • Esse cálculo é muito importante em física, portanto tudo o que puder aprender sobre o mesmo ainda é pouco.

Ainda ficou com dúvidas sobre o Vetor Deslocamento? Deixe-nos um comentário para que ajudemos um número maior de pessoas.

Espelho Côncavo – Propriedades

Quais são os insetos mais nocivos para os seres humanos?

Um Espelho Côncavo é um espelho esférico, uma superfície refletora na forma de uma calota esférica. O espelho côncavo tem a parte espelhada interna. Conforme demonstrado na figura abaixo.

Veja também outros artigos relacionados à Física.

Espelho Côncavo – Onde são utilizados

O espelho côncavo é geralmente utilizado em aplicações específicas. Isso porque as imagens geradas por ele variam de acordo com a posição do objeto que deseja refletir. Pode ser utilizado em alguns tipos de telescópios, projetores e em utensílios odontológicos, devido à necessidade dos dentistas de observar características específicas dos dentes. Também é comum em alguns utensílios de maquiagem (espelho de batom, espelho para maquiagem e para sombracelhas), pois diante do espelho côncavo a imagem do objeto se torna aproximada e, portanto, mais precisa, resultando em uma imagem com melhor nitidez e visualização de detalhes.

Propriedades do Espelho Côncavo

As propriedades do espelho côncavo são:

  • Ponto Focal: representando pela letra F. É o ponto médio entre o centro de curvatura e o vértice do espelho. Esse ponto médio se localiza sobre a reta  representada pela letra R. É para esse ponto que os raios refletidos ou prolongados se convergem.
  • Distância Focal: representada pela letra f. É a medida entre o ponto focal e o vértice do espelho. Sendo portanto, a medida do raio, dada por:

 

  • Vértice: representado pela letra V. É o ponto tangencial descrito na curvatura do espelho, se localiza sobre a linha de centro que une o centro de curvatura, o foco e o vértice – o eixo (e) do espelho.

É necessário conhecer o comportamento dos raios de luz que atingem a superfície do espelho para ser possível determinar como as imagens são formadas.

Na formação de imagens é necessário dois feixes de luz incidentes no espelho côncavo. Através desses dois feixes de luz é possível determinar a posição da imagem refletida e tamanho.

Há também outro caso de formação de imagens em espelhos côncavos. Nesse caso, a imagem refletida é caracterizada como Real, pois é constituída pelo encontro dos raios incidentes, Invertida, pois tem uma direção diferente do objeto, e Reduzida, por ser menor que o objeto. Observe na imagem abaixo:

Em outro caso, o objeto (O) está posicionado entre o ponto focal e o vértice. O prolongamento dos raios se encontram para formar a imagem, caracterizada como Virtual, constituída por prolongamento dos raios, Direta, pois possui a mesma direção no pbjeto, e Ampliada, por ser maior que o objeto.

Existe também um outro caso, esse bem particular. Nele a imagem formada é denominada imprópria. O objeto se encontra posicionado sobre o ponto focal, e o raios refletidos são paralelos, motivo pelo qual dizem que a imagem formada se encontra no infinito, ou seja, não há formação de imagem refletida.

O que você achou desse artigo? Se gostou dessa informação, compartilhe com seus amigos e nos deixe uma avaliação!
E para mais novidades não deixe de nos seguir nas redes sociais!

 

Propriedades do ar: quais são elas e quais seus valores padrões?

O ar é um gás composto por 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1 % de alguns traços de vapor de água, dióxido de carbono, argônio e vários outros componentes. Apesar de parecer algo simples, existem várias propriedades do ar.

O ar é geralmente modelado como um gás uniforme e que possui as propriedades médias de todos os seus componentes.

Os valores apresentados neste artigo, são valores típicos das propriedades do ar, considerando condições estáticas e localização a nível do mar.

Temos outros artigos relacionados na seção de Física.

Quais são as propriedades do ar?

 PropriedadeDimensões Valor
 Densidade (d) massa / volume 1,229 kg / m³
 Volume Específico (v) volume / massa 0,814 m³ / kg
 Pressão (p) força / área 101,3 kN / m²
 Temperatura (t) ———- 15 ºC
 Viscosidade (mu) força * tempo / área 1,73 * 10-5 N * s / m²

 

Propriedades do ar

Todos nós sabemos que a pressão e a temperatura do ar dependem da sua localização na Terra e da estação do ano. Além disso, a temperatura e a pressão mudam a cada dia, a cada hora e às vezes até em alguns minutos.

Os valores apresentados aqui, são valores médios utilizados por engenheiros para projetar máquinas. Por isso, eles são chamados valores padrão.

Também sabemos que as variáveis dos gases mudam com a altitude, e é por isso que os valores são dados considerando o nível do mar. Como a gravidade da Terra mantem a atmosfera na superfície, ao aumentar a altitude, a densidade do ar, pressão e a temperatura diminuem. Todas essas variações do ar são muito importantes, porque elas afetam vários parâmetros, como por exemplo, a velocidade do som.

Um gás é composto de várias moléculas que estão sempre se movimentando aleatoriamente. Para uma dada pressão e temperatura, o volume depende apenas da quantidade de gás. Como o volume e a massa são relacionados diretamente, eles podem ser expressos por uma simples variável.

Explicação das propriedades do ar

Quando o gás está se movimentando, uma variável conveniente seria a densidade, que é a massa dividida pelo volume que o gás ocupa. O valor padrão da densidade do ar é:

 d = 1,229 kg / m³

Quando estamos trabalhando com gás estático, a variável mais conveniente é o volume específico, que é o volume dividido pela massa. O valor padrão do volume específico ao nível mar é:

v = 0,814 m³ / kg

A pressão do gás é igual a força perpendicular exercida por esse gás, dividida pela superfície da área que a força é exercida. O valor padrão da pressão do ar ao nível do mar é:

p = 101,3 kN / m²

A temperatura do gás é medida pela energia de movimentação das moléculas do gás. O valor padrão da temperatura do ar ao nível do mar é:

t = 15 ºC

Um gás pode exercer uma força tangencial (cisalhamento) na superfície, que age como atrito entre superfícies sólidas. Essa propriedade do gás é denominada viscosidade e é muito importante para o estudo da aerodinâmica. O valor padrão da viscosidade ao nível do mar é:

mu =   1,73 * 10-5 N * s / m²

A densidade (volume específico), pressão e temperatura do gás são relacionados um ao outro através das equações de estado. O estado do gás pode ser trocado por processos externos e a reação do gás pode ser prevista usando as leis da termodinâmica.

Fonte: thermopedia   nasa

Tensão e corrente elétrica: conceitos, analogias e diferenças

Neste artigo vamos falar sobre tensão e corrente elétrica. Esses conceitos são fundamentais para qualquer pessoa. Por isso, preste muita atenção.

Não deixe de conferir outros artigos relacionados ao “Tensão e corrente elétrica”, na seção eletroeletrônica.

O que é tensão elétrica?

Tensão é a medida do potencial elétrico entre dois pontos do circuito. Um ponto tem mais carga que o outro. Essa diferença entre os dois pontos é denominada tensão.

Ele é medida em volts, que é a diferença do potencial elétrico entre dois pontos que irá transmitir 1 Joule de energia por Coulomb de carga que passa através deles.

A unidade volt é uma homenagem ao físico italiano Alessandro Volta, que inventou a bateria composta por produtos químicos. A tensão é geralmente representada pela letra V.

Para facilitar o entendimento podemos fazer uma analogia com um tanque de água. A carga seria a quantidade de água no tanque. A tensão seria a pressão da água e a corrente a vazão da água.

Imagine um tanque de água com uma mangueira atrelada a parte inferior do tanque.

Tensão e corrente elétrica - Tanque de água representando a tensão

A pressão no fim da mangueira representa a tensão. A água no tanque representa a carga. Quanto mais água no tanque, maior será a pressão no final da mangueira.

O tanque pode ser considerado a bateria, que o lugar onde a energia é armazenada por um determinado tempo e depois é liberada. Se nós tirarmos uma quantia considerável de água do tanque, a pressão criada no fim da mangueira diminuirá.

A mesma coisa acontece quando a tensão diminui. Por exemplo, uma lanterna começa a perder o seu brilho, conforme a bateria vai acabando.

Também temos que observar que haverá uma diminuição da água do tanque, conforme ela vai saindo da mangueira. Menor pressão significa que menos água irá fazer. É isso que acontece com a corrente elétrica.

O que é corrente elétrica?

A quantidade de água vazando pela mangueira do tanque pode ser considerada a corrente elétrica. Quanto maior a pressão, maior será a vazão. No caso da água, nós mediríamos o volume da vazão da água pela mangueira por um determinado tempo. Com a eletricidade, nós podemos medir a quantidade de carga passando pelo circuito por um determinado período de tempo.

Corrente é medida em ampere. Um ampere é definido como 6,241×1018  elétrons (1 Coulomb) por segundo passando por um ponto do circuito.  A corrente é geralmente representada pela letra I.

Agora imagine que nós temos dois tanques, cada um com uma mangueira ligada a parte inferior do tanque. Os dois tanques têm a mesma quantidade de água, porém a mangueira de um tanque é mais estreita que a mangueira do outro.

Tensão e corrente elétrica - Tanques de água representando a corrente

As extremidades das mangueiras dos dois tanques terão a mesma pressão, mas quando a água começar a vazar, a vazão do tanque com a mangueira mais grossa será maior do que a vazão do tanque com a mangueira mais fina.

Em termos de eletricidade, a corrente que passa pela mangueira mais fina é menor do que a corrente que passa pela mangueira mais grossa. Para equilibrar a vazão de água dos dois tanques, é necessário aumentar a quantidade de água (carga) no tanque com a mangueira mais fina.

Tensão e corrente elétrica - tanques de água representando a corrente

Agora a pressão (voltage) é a mesma nas duas mangueiras. Esse procedimento é análogo a um aumento de tensão que causa um aumento na corrente.

Diferença entre tensão e corrente elétrica

CorrenteTensão
SímboloIV
DefiniçãoÉ a taxa que a corrente elétrica passa por um ponto no circuito, ou seja, taxa de vazão da corrente elétrica.É a diferença de potencial entre dois pontos elétricos. Também pode ser interpretada como energia por unidade de carga.
UnidadeAmpereVolt
RelaçãoA corrente não pode existir sem a tensão.A tensão pode existir sem a corrente.
Instrumento de medidaAmperímetroVoltímetro
Unidade no Sistema Internacional1 ampere =1 coulomb/segundo.1 volt = 1 joule/coulomb.
Conexão em sérieA corrente é a mesma para todos os componentes conectados em série.A tensão é distribuída pelos componentes conectados em série.
Conexão paralela A corrente fica distribuída pelos componentes conectados em paralelo.A tensão é a mesma para todos os componentes conectados em paralelo.

O que você achou do artigo “Tensão e corrente elétrica”? Deixe o seu comentário.

Fontes:  diffen sparkfun

Velocidade do som: conceito, fórmula e parâmetros que afetam

Velocidade do som: 340.29 m/s ou 1.225,044 km/h, considerando condições normais de temperatura, umidade e pressão.

Antes de falarmos da velocidade do som, vamos entender um pouco sobre a onda sonora. Uma onda sonora é um distúrbio de pressão que viaja pelo meio através das interações das partículas. Conforme uma partícula sofre um distúrbio, ela exerce uma força na próxima partícula adjacente, fazendo com essa partícula transporte a energia para outras partículas.

A velocidade do som mede o quão rápido esse distúrbio passa de uma partícula para outra. A frequência está relacionada com o número de vibrações que uma partícula faz por unidade de tempo. Já a velocidade indica a distância que o distúrbio percorre por unidade de tempo. É bom esclarecer esses conceitos porque eles geram muita confusão.

Confira também os outros artigos da seção de física.

Qual a velocidade do som no ar?

Fonte: GA

A velocidade da onda sonora no ar depende das propriedades do ar em que ela se encontra. Essas propriedades são: temperatura e umidade.

A umidade é o vapor de água presente no ar. Assim como qualquer outro líquido, a água tem a tendência de evaporar. Conforme ela vai evaporando, ela se mistura com partículas de gases presentes no ar. Essa mistura afeta a densidade do ar.

A temperatura afeta a força das interações das partículas. Em condições normais da pressão atmosférica e da umidade do ar, a temperatura afeta a velocidade do som da seguinte forma:

Apesar dessa fórmula ser baseada em observações, ela apresenta resultados bem próximos da realidade. Vamos demonstrar um exemplo, com a temperatura igual a 20ºC.

O que afeta a velocidade do som?

A velocidade de qualquer onda é afetada pelo meio em que ela se propaga. Geralmente, existem duas propriedades essenciais que afetam a velocidade da onda: propriedades da inércia e propriedades elásticas.

As propriedades elásticas estão relacionadas com a capacidade que um material tem de manter o seu formato mesmo que uma força seja aplicada nele. O aço sofre uma deformação mínima quando é submetido a uma força. Por outro lado, a borracha é muito flexível. Por isso, ao ser aplicado uma força, o seu formato muda bastante.

O ação não se deforma facilmente porque as suas moléculas possuem uma forte interação. Isso quer dizer que a fase da matéria tem uma forte influência na velocidade do som.

Geralmente, os sólidos possuem as relação mais fortes entre as partículas. Os líquidos ocupam o segundo lugar, deixando os gases por último. Esse é o motivo que as ondas sonoras viajam mais rápido em meios sólidos. Isso é conhecido como fator elástico.

Uma das propriedades da inércia mais importantes é a densidade de massa. Uma onda sonora viaja mais rápido em materiais menos densos. Por esse motivo, o som viaja aproximadamente 3 vezes mais rápido em partículas de Hélio do que em partículas do ar.

Fontes: thermopedia  physicsclassroom

Aceleração Tangencial → o que é e como calcular?

Significado do Estado de exceção   O que é, Conceito e Definição

Em qualquer ponto do círculo é possível identificar duas direções. A primeira é a direção que aponta para o centro do círculo: direção radial. A direção que é perpendicular a direção radial é denominada direção tangencial. A aceleração que ocorre nessa direção é denominada aceleração tangencial.

Considere uma partícula que está se movendo ao longo de uma curva. Para que isso seja possível é preciso que essa partícula mude a magnitude e a direção da velocidade.

A direção da velocidade em qualquer ponto de uma trajetória circular é a mesma direção da tangente daquele ponto. No entanto, a direção da aceleração em determinado ponto é diferente da direção tangencial do mesmo ponto.

Em cada ponto, a partícula pode ser modelada como se ela estivesse movendo em uma trajetória circular. O raio da trajetória circular é o raio de curvatura da trajetória naquele instante.

No próximo ponto, a partícula se movimenta como se ela estivesse em uma trajetória circular diferente, com centro e raio diferentes da trajetória circular do instante anterior.

A aceleração consiste em dois componentes: radial e tangencial. Para calculá-la em qualquer ponto de uma trajetória curva, é necessário fazer uma soma vetorial das acelerações radial e tangencial.

A direção do vetor aceleração é a resultante da direção dos vetores radial e tangencial.

Temos outros artigos relacionados a esse, na seção física.

O que é aceleração tangencial?

É a medida da mudança da velocidade tangencial de um ponto. A aceleração tangencial é equivalente a linear. A diferença entre elas é que a tangencial só aparece em direções tangenciais, ou seja, em movimentos circulares.

Aceleração tangencial: fórmula

A mudança da velocidade de um objeto em um ponto da trajetória retilínea é igual a velocidade instantânea naquele ponto.

A aceleração radial aparece devido a mudança de direção da velocidade e possui a mesma magnitude da radial.

Fonte: tutorvista

Soma de vetores: aprenda 3 métodos

Muitas operações matemáticas podem ser realizadas utilizando vetores. A soma de vetores é uma dessas operações. Nessa operação, dois ou mais vetores se transformam em apenas um vetor resultante.

Soma de vetores

Existem vários métodos para fazer a soma de vetores. Porém, nem todos os métodos podem ser aplicados a todas as situações. Veja abaixo, alguns desses métodos:

1 – Vetores com a mesma direção e sentido

Esse é o caso mais simples. Se dois ou mais vetores possuem a mesma direção e o mesmo sentido, o vetor resultante manterá a direção e o sentido, e o módulo do vetor obtido será igual a soma dos módulos dos vetores envolvidos.

soma de vetores - exemplo

2 – Dois vetores perpendiculares

Para essa situação podemos utilizar o Teorema de Pitágoras. Para saber o sentido do vetor resultante, coloque a cabeça de um vetor na cauda do outro. Depois trace uma reta entre a cauda do primeiro vetor e a cabeça do segundo vetor. Essa reta será a direção do vetor resultante.

O módulo do vetor obtido será igual a raiz quadrada da soma dos quadrados dos módulos dos dois vetores envolvidos na soma.

soma de vetores - exemplo

3 – Dois ou mais vetores em qualquer direção e sentido

Um método que funciona para todos os casos é desenhar os vetores em uma folha graduada e depois colocar a cabeça de um vetor na cauda do próximo. O vetor resultante é o vetor que começa na cauda do primeiro vetor e termina na cabeça do último.

Ao terminar de fazer o desenho, você saberá qual a direção, o sentido e o módulo do vetor equivalente.

Caso a sua folha não seja graduada, mas você sabe os valores das componentes x e y de cada vetor, você poderá somar as componentes x e as componentes y. Sendo assim, o módulo do vetor resultante poderá ser encontrado pela fórmula abaixo:

soma de vetores - exemplo

Unidades de Medidas de Tempo → O que é e quais são

Desde que Albert Einstein bolou a Teoria da Relatividade Geral uma grandeza passo a ter posição especial no mundo da física: O Tempo. Mas você sabe quais são as Unidades de Medidas de Tempo?

Essas Medidas podem ser expressadas de diversas forma, sendo que é padrão no mundo.

Existem várias perguntas que são respondidas utilizando essa grandeza:

  • Quanto dura um jogo de basquete?
  • Quanto dura uma partida de futebol?
  • Quanto demora para ir de casa até a escola?
  • Quanto dura uma aula?
  • A que horas passa a novela?
  • Qual a duração desse curso?
  • Quanto demora pra ir do Estado do Rio de Janeiro ao Estado da Bahia?
  • Qual a sua idade?

Claro que para cada uma das perguntas o tempo pode ser expresso de uma forma diferente, mas eles se baseiam na unidade padrão.Unidades de Medidas de Tempo O que é e quais são

O que é uma Unidade de Medidas de Tempo?

É uma tentativa de definir uma Grandeza Física que tem como principal objetivo medir a velocidade de passagem do tempo.

Desde antigamente há uma tentativa de todos os cientistas e de todos os filósofos estudarem essa unidade, finalmente chegamos a um padrão e, agora, temos uma definição para isso.

Anteriormente era utilizado o sol, as estrelas e o posicionamento dos entes celestes a partir de um referencial terrestre para que fosse definida a medida, mas com os anos de estudo percebeu-se que nem sempre era heterogêneo esse meio de medição, sendo definido uma como padrão.

Qual é a Unidade de Medidas de Tempo Padrão?

A Unidade de Medidas de Tempo Padrão utilizada atualmente é o segundo (s).

Ele foi escolhido como o tempo equivalente a 1 / 86.400 do dia solar médio.

Claro que, ainda assim, é um pouco arbitrário, mas conseguimos uma boa precisão utilizando esse padrão que, inclusive, é o usado internacionalmente pelo SI.

Quais as outras Unidades de Medidas de Tempo que existem?

Existem várias outras originadas a partir da unidade padrão descrita acima, sendo que todas elas podem ser utilizadas a depender daquela que oferece a melhor interpretação da informação que pretende-se passar. Pode ver as mesmas abaixo com o valor que representam em segundos:

  • minuto = 60 segundos;
  • hora = 60 minutos = 3600 segundos;
  • dia = 24 horas = 1.440 minutos = 86.400 segundos.

Os citados acima são os principais múltiplos, abaixo poderá ver os principais submúltiplos:

  • décimo de segundo;
  • centésimo de segundo;
  • milésimo de segundo.

Existem medidas de tempo maiores para representar grandes números de segundos, que tomam como referencial o dia.

Aí, nesse caso, pode-se utilizar um dos nomes abaixo:

  • mês = conjunto de 28, 29, 30 ou 31 dias (a depender do mês em questão);
  • ano = conjunto de 12 meses ou 365 / 366(anos bissextos) dias;
  • década = conjunto de 10 anos;
  • século = conjunto de 100 anos;
  • milênio = conjunto de 100 anos.

Tudo vai depender do uso na hora de escolher uma das representações para usar. Todas elas são válidas, devendo escolher aquela que faça mais sentido no contexto em que será dita.

Obs.: O mês comercial possui 30 dias e o ano comercial possui 360 dias, essas unidades foram tomadas como padrão para facilitar as atividades de contabilidade e de fechamento de caixa.

Conclusão sobre as Unidades de Medidas de Tempo

É um conjunto de representações bem importantes pois nos orienta a ter a noção de quando devemos fazer algo e é, por padrão, medida inicialmente em segundos. Porém, como a unidade oficial é muito pequena, normalmente utilizamos os seus múltiplos para nos expressarmos melhor.

Espero que o artigo sobre as Unidades de Medidas de Tempo tenha lhe sido útil e que tenha entendido todos os conceitos. Qualquer dúvida, sugestão ou correção que deve ser feita no texto nos deixe um comentário para que ajudemos um número maior de pessoas.

curiosidades